Blog Unicamp Ano 50



Abertura de congressos de educação infantil reúne adultos e crianças

24/08/2016 - atualizado em 25/08/2016
I Congresso Internacional de Educação Infantil da Unicamp e I Congresso de Creches Universitárias da América Latina e Caribe (Udual), 24 de agosto de 2016. Foto: Antoninho Perri

Adultos em debate sobre crianças e crianças cantando Rubem Alves com um trio adulto. Nesta composição, representantes e educadores de vários países da América Latina participaram nesta terça-feira (23) da abertura do I Congresso Internacional de Educação Infantil da Unicamp e do I Congresso de Creches Universitárias da América Latina e Caribe (Udual). Parte das comemorações dos 50 anos da Unicamp, os eventos têm como objetivo contribuir para o fortalecimento do diálogo sobre as ações e os desafios que permeiam a educação infantil entre pesquisadores, profissionais da educação, dirigentes, pais e comunidades da Região Metropolitana de Campinas, países da América Latina e Caribe e participantes de outros países. De acordo com a professora Gabriela Guarnieri de Campos Tebet, uma das organizadoras do evento, as creches universitárias ganham destaque no evento, com foco na tríade políticas, pesquisas e práticas pedagógicas. Os congressos são organizados em parceria com a Faculdade de Educação e a Divisão de Educação Infantil e Complementar (Dedic), da Diretoria Geral de Recursos Humanos (DGRH) da Unicamp.

Reitor da Unicamp e também presidente da Udual, o professor José Tadeu Jorge declara que os congressos contribuem para evidenciar o empenho da Unicamp em se tornar uma referência em educação infantil tanto do ponto de vista da produção do conhecimento e da produção dos trabalhos de ensino e pesquisa quanto da prática pedagógica nas estruturas da Universidade. A ideia, segundo o reitor, é permitir que cada país exponha suas ações, para que a troca de experiências dentro do evento conduza todos os países reunidos a um nível alto de qualidade em educação. Ele acrescenta que a Udual, criada há 65 anos, congrega mais de 240 universidades de vários países que têm como tema central a autonomia universitária.

A professora da Faculdade de Educação da Unicamp, Ana Lúcia Goulart de Faria, enfatiza que a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) de 1942 aborda a importância da instalação de creche em empresas públicas e isso é realidade em algumas universidades estaduais e federais. “Esta discussão acontece num momento importante em que a Unicamp completa 50 anos e seu atual reitor, professor Tadeu, foi secretário da educação e tem conhecimento grande sobre a educação infantil. Há um investimento muito grande atenção à creche da Unicamp, que apresenta crescimento e transformação para melhor, diferente de outras que estão sendo fechadas”, acrescenta Ana Lúcia.

Em sua fala na abertura, Ana Lúcia enfocou a participação das crianças desde muito pequenas na vida social, com a exibição de um vídeo em que elas aparecem atuando desde cedo em alguns movimentos, incluindo passeatas. Outra coisa a acentuar no congresso, segundo Ana Lúcia Goulart de Faria, é o nosso enfoque pós-colonialista. “Estamos em busca de pedagogias descolonizadoras, problematizando nossa “colonialização” portuguesa e espanhola e buscando formas latino-americanas, que têm características diferentes da Europa”, pontua.

“Nada melhor que este congresso internacional para discutir o início da vida acadêmica da pessoa, que é a educação infantil. O GGBS, como parceiro na garantia da qualidade de vida também na área educacional não poderia deixar de participar desta iniciativa”, acrescenta o coordenador-adjunto do Grupo Gestor de Benefícios Sociais da Unicamp, Armando Comunalle Júnior. Participaram também da abertura dos congressos Gláucia Maria Pastore, pró-reitora de Pesquisa e João Frederico Meyer, pró-reitor de Extensão e Assunstos Comunitários.

Apresentação cultural
A apresentação cultural na noite de abertura ficou por conta do Trio Trappistas e do Coral Unicamp Infantil, formado justamente por escolares que frequentam, em sua maioria, o espaço de educação infantil da Unicamp desde o berçário. Alunos do Programa de Desenvolvimento da Criança e Adolescente, surpreenderam o público internacional ao executar com o trio vocal canções compostas por Walter Nascimento inspiradas em textos de livros infantis do escritor, poeta e professor da Unicamp Rubem Alves, falecido em 2014.

Um misto de emoção e realização para o maestro Wilson Nascimento, que, além de participar da educação das crianças, pode divulgar a obra do escritor. “Conversando com Raquel Alves, filha de Rubem, ela disse que gostaria que as pessoas lessem mais os textos dele. Eu cresci fazendo música e ela é uma ferramenta que ajuda a guardar mais o texto. Então, esta é a ideia: que se tenha mais estes textos lindos. Hoje temos música boa, mas também coisas ruins. Então, a proposta é oferecer um bom texto e uma boa melodia não só para as crianças, mas também para os adultos”, declara o maestro e cantor do Trio Trappistas, formado também por Pedro Cruz Barsalini e Ney Santos.

Diretor da Educorp, patrocinadora das inscrições dos educadores da Unicamp no evento, Maurício Calixto fez questão de opinar sobre a apresentação. “A música é uma das mais belas formas de expressão que existem. A música complementa a alma, a cultura, a educação, a religião. As crianças expressaram isso, assim como o Trio Trappistas, de maneira única. Estão todos de parabéns pelo evento e pelo momento cultural.”



Leia mais




Comentários

comments powered by Disqus

Voltar