Blog Unicamp Ano 50



A récita vai ao palco

Para mais de mil pessoas

01/10/2015 - atualizado em 29/03/2016
Ópera "Don Giovanni, de Mozart, marca pré-estreia das comemorações dos 50 anos da Unicamp.

E a récita de Don Giovanni, Mozart, finalmente foi ao palco do Theatro Municipal de Paulínia na noite de quarta-feira (30 de setembro) para surpreender mil olhares. A casa cheia deve se repetir hoje, no segundo e último dia de apresentação da ópera. A abertura das comemorações do Unicamp Ano 50 com a obra de Mozart interpretada por um elenco formado por alunos do Ópera Estúdio da Instituto de Artes e pela Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU) é algo que vai ficar marcado pelo resto da história da Universidade, para o chefe de Gabinete da Reitoria, Paulo César Montagner. “Surpreendente e muito bonito. Fiquei admirado com o nível do trabalho. Os cantores estão e parabéns”, declara Montagner.

Para a coordenadora do Unicamp Ano 50 e pró-reitora de Pós-Graduação da Unicamp Ítala D’Otavianno, é um orgulho para a Unicamp montar a ópera Don Giovanni, considerada uma das maiores composições líricas já escritas na história da música mundial.

Desta vez, na plateia, a maestrina da OSU, Cinthia Alireti disse que o resultado, no primeiro dia, mostra o quanto o trabalho valeu a pena. “Valeu pelo trabalho em conjunto com a equipe do Cerimonial da Universidade. O envolvimento da Unicamp dos profissionais do teatro, dos instrumentistas e da produção da OSU e dos estudantes do Ópera Estúdio, além do convite da Unicamp para a OSU participar dessas comemorações nos deixa muito contente”, pontua. Cinthia destaca também o crescimento dos alunos ao longo do trabalho no Ópera Estúdio, coordenado pelo professor de canto do curso de graduação em música da Unicamp, Angelo Fernandes, diretor geral do espetáculo. “É notável o desenvolvimento dos solistas da montagem da ópera As Bodas de Fígaro para este concerto. Isso mostra o quanto essas oportunidades são importantes a eles”, destaca.

Para a maestrina do Coral Zíper na Boca e coordenadora das atividades culturais do Unicamp Ano 50, Vivian Nogueira, a escolha da ópera para a abertura das comemorações foi bem-sucedida, pois a ópera envolve todas as artes num só evento. “A ópera é um espetáculo completo, que envolve teatro, canto, dança, além da preocupação com o cenário. E Don Giovanni conquista o público pelo teor cômico, o que torna a abertura do evento alegre”. A legenda traduzida, recurso que Vivian também utilizou na montagem de Os Prazeres de Versalhes, aproxima as pessoas do texto as ópera, já que, apesar de o italiano ser o idioma mundial da ópera, não é uma língua que faz parte do cotidiano de todas as pessoas. A iniciativa contribui para a formação de público de ópera, em sua opinião.

Da mesma forma que a maestrina Cinthia, a ex-copista da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) Mara Moraes elogiou a atuação dos cantores, em especial de Willian, o Don Giovanni, que viu crescer no coro Meninos Cantores de Campinas (Meca). “Fiquei emocionada em vê-lo neste palco como protagonista. Está tudo lindo. Como é bom ter teatro com fosso também”, comemora a musicóloga.

Do público, formado por músicos e leigos em música, os elogios também foram manifestados.

“Está impecável. Sensacional”, disse a jornalista e professora Ivana Mazetti.

“Que produção maravilhosa. Cenário maravilhoso”, surpreende-se Teresinha

“Cenário perfeito. De acordo com o período. Cantores muito bem-preparados”, manifesta o espectador Sérgio, que, pela timidez, preferiu não citar seu sobrenome.

“Ideia fantástica abrir os 50 anos com este espetáculo. Por sua grandiosidade, Unicamp não poderia produzir menos; teria de abrir com algo desta magnitude”, pontua o primeiro trompista da OSMC, Isac Emerick.

A sensação de missão cumprida era denunciada pelo sorriso de Susana Boccato na saída do teatro. Desta vez, com poucas palavras para se poupar para mais uma noite (hoje) de concerto. Afinal, bom resultado requer disciplina.

Leia mais




Comentários

comments powered by Disqus

Voltar