Blog Unicamp Ano 50



Unicamp divulga programação oficial dos 50 anos

Apresentação da ópera “Don Giovanni”, em Paulínia, marcou início das comemorações

02/10/2015 - atualizado em 29/03/2016
Cena da ópera "Don Giovanni", no Theatro Municipal de Paulínia (foto: Antoninho Perri)

A Unicamp realiza contagem regressiva para as comemorações do seu cinquentenário. A divulgação da programação oficial do evento foi feita no último dia 29, no auditório da Agência para a Formação Profissional da Unicamp (AFPU), pela professora Ítala D’Ottaviano, coordenadora da comissão organizadora das comemorações. Durante entrevista coletiva à imprensa, Ítala anunciou que, a partir do dia 5 de outubro, haverá um ano de comemorações pelo marco do seu quinquagésimo ano de criação. “Iremos celebrar o que a Unicamp fez ao longo desse tempo. Apesar de a Universidade ter apenas 50 anos, tem demonstrado qualidade altamente relevante. Tanto que em todos os rankings e levantamentos mais renomados, inclusive de instituições estrangeiras, a Unicamp figura entre as melhores universidades do mundo com menos de 50 anos”, ressaltou Ítala.

A professora, que também é assessora especial do Gabinete do Reitor, lembrou que, depois de comemorar o aniversário da Universidade em 2016, a Unicamp não estará mais no ranking das jovens instituições com menos de 50 anos. Terá entrado para o rol das universidades com menos de 100 anos. “Mas nossa instituição certamente prosseguirá mostrando qualidade no ensino, na pesquisa e na extensão com a sociedade.”

No decorrer da sua fala, ela apresentou todas as atividades programadas, de outubro e novembro (veja a programação) deste ano até 2016. Os eventos serão artísticos, culturais, científicos, festivos e esportivos. Foram planejados debates acerca dos grandes temas e desafios da contemporaneidade. “Faremos esse debate para mostrar que pretendemos manter esse protagonismo também pelos próximos 50 anos e pelos demais”, salientou.

Na programação científica, um dos principais encontros será a série “Perspectivas Unicamp 50 anos”, coordenada pelo professor do Instituto de Economia (IE) Wilson Cano. Segundo ele, nesses colóquios cada mesa- redonda vai discutir a atualidade dos temas propostos, tentando olhar o Brasil nos próximos anos e indagando quais são as suas perspectivas.

Wilson Cano será o responsável pela parte de política, de economia e de políticas sociais dos colóquios. “Planejamos mesas também sobre informática e teoria do conhecimento, sobre criatividade, cultura, climatologia, entre outras”, comentou.

O docente do IE assinalou que ele espera ver debates acalorados, em consonância com o momento que o Brasil está vivendo. “É um momento quente de crise e de efervescência política, com críticas por todos os lados”, destacou. “As mesas vão refletir de certa forma tudo isso, e o público poderá dialogar com os participantes das mesas-redondas, o que enriquecerá os debates. Toda a sociedade pode participar do nosso evento”, convidou.

A expectativa de Wilson Cano é que haja uma frequência alta de participantes nos colóquios. Ele conta que inclusive haverá uma transmissão simultânea no site da Unicamp. “Esperamos que os debates sejam muito proveitosos porque os nossos convidados não têm as mesmas posições. Com isso, cremos que as discussões ganharão em profundidade e interesse.”


Ópera

Como pré-estreia das comemorações dos 50 anos da Unicamp, no dia 30 de setembro houve apresentação da ópera “Don Giovanni”, de W. A. Mozart, no Theatro Municipal de Paulínia. O local ficou lotado com a presença de dirigentes, professores, estudantes e funcionários da Universidade, bem como de integrantes da comunidade externa. A ópera, produzida totalmente pela Unicamp, foi reapresentada no dia 1º de outubro.

Antes da apresentação, o coordenador- geral da Unicamp, professor Alvaro Crósta, representando o reitor José Tadeu Jorge, deu as boas-vindas ao público e destacou que a Unicamp nasceu com a missão de inovar e de estar à frente do seu tempo. Segundo ele, a Universidade surgiu pequena em tamanho, mas grande em suas ambições. “Hoje podemos comprovar, com imensa alegria, que as melhores expectativas dos nossos fundadores, tendo à frente a destacada figura de Zeferino Vaz, tornaram-se uma realidade.”

Também presente à solenidade de abertura da ópera, a professora Ítala D’Ottaviano enfatizou que, entre as atividades programadas para os próximos 12 meses, várias mostrarão que a Unicamp pretende não somente continuar dando conta das suas atividades-fim, mas também manter o protagonismo na discussão das questões de interesse do país.

A montagem da ópera “Don Giovanni” teve direção musical e regência do maestro Abel Rocha (titular da Orquestra Sinfônica de Santo André), direção cênica de Matteo Bonfitto (professor do Departamento de Artes Cênicas do Instituto de Artes da Unicamp) e coordenação de Angelo Fernandes (diretor do Ópera Estúdio). A peça contou, ainda, com o Coro Contemporâneo de Campinas, do IA-Unicamp, que foi regido por Angelo Fernandes e formado por 40 alunos de graduação e pós-graduação em Música. O elenco reuniu os cantores Willian Donizetti, Volnei dos Santos, Raíssa Amaral, Daniel Duarte, Susana Boccato, Fernando Barreto, Ana Beatriz Machado e Raphael Domeniche. Confira a programação. (Colaborou Manuel Alves Filho)

Programação de outubro

Programação de novembro

Jornal da Unicamp

Fonte: Jornal Unicamp

Leia mais




Comentários

comments powered by Disqus

Voltar